POLÍCIA

Polícia prende suspeito pela morte de pai de santo em Teresina

G1   06/12/2017

Crime aconteceu em julho deste ano, após vítima e suspeito se conhecerem em um bar da Zona Leste de Teresina

Juliana Barros/G1

clique para ver a foto em tamanho real

Delegado Higgo Martins

 

Os policiais da Delegacia de Homicídios prenderam nesta terça-feira (5) um suspeito pelo assassinato do pai de santo Cosme Lindemberg Araújo, de 40 anos. Segundo o delegado Higgo Martins, que presidiu a investigação, vítima e suspeito se conheceram no dia do crime.

“Geralmente, casos de homicídios são em razão de uma rixa que existe entre autor e vítima. Nesse caso foi um encontro casual, e houve uma dificuldade maior para identificar esse indivíduo. Realmente um trabalho de paciência”, explicou o delegado Higgo. O suspeito foi preso em sua residência, no bairro Vale Quem Tem, Zona Leste de Teresina.

O crime aconteceu na casa da vítima, localizada no bairro Piçarreira, zona Leste de Teresina, no dia 22 de julho de 2017. Cosme Lindemberg Araújo foi morto com quatro golpes de faca: três atingiram o tórax e uma o rosto da vítima.

Amigos da vítima ajudaram em identificação

O suspeito e a vítima se conheceram casualmente em um bar localizado na zona Leste de Teresina. Do bar, os dois foram para a casa da vítima, onde aconteceu o homicídio. Para o delegado Higgo, os dois tiveram um desentendimento, o que teria motivado o crime.

O delegado contou que a investigação partiu de depoimentos colhidos com amigos da vítima que estavam presente no dia em que se conheceram. Com base nestas informações, os policiais fizeram um retrato falado do suspeito. Depois, os policiais passaram diversas noites nas proximidades do local do encontro, até conseguirem identificar o suspeito.

“Após a identificação, a gente trouxe a imagem real dele para as testemunhas reconhecerem, e foi possível fazer a representação da prisão, que hoje cumprimos”, relata o delegado Higgo. Já na delegacia, o suspeito confessou o crime e alegou ter agido em legítima defesa. Mas para o delegado, o argumento não corresponde com as informações colhidas durante a investigação.

 

© 2010 Jornalista 292— Todos os direitos reservados.